Pesquisar no Blog
Papo com VET

|Papo com Vet| Por que adotar práticas integrativas para nossos animais?

*Por Adalberto do C. B. von Ancken

Ao pensarmos em doenças físicas normalmente nos deparamos com sintomas que são inespecíficos e comuns a diversas doenças, porém, que costumam gerar muita preocupação.

A febre, por exemplo, nada mais é do que uma resposta do maquinário fisiológico de um organismo tentando encontrar formas de responder imunologicamente a determinado microorganismo ou mesmo a processos inflamatórios. Assim, não deve (ou não deveria) suscitar reações de emoções exasperadas.

A medicina convencional, conhecida como alopatia ou mesmo enantiopatia (enantio = contrário), preza pela urgência na resolução destes sintomas e alívio imediato. Corroborada ainda pela indústria farmacêutica que despende quantias vultosas anualmente no desenvolvimento de novas drogas, seja por resistência às anteriores ou para que proporcionem menos efeitos colaterais.

Porém, suprimir respostas fisiológicas que são normais, apesar da falsa sensação de bem-estar imediato, pode trazer conseqüências futuras inclusive com graus de malignidade. Assim, as terapêuticas que compõem a chamada medicina integrativa agem na contramão deste status quo.

Estimular as funções orgânicas e permitir livremente suas manifestações idiossincrásicas são as bandeiras destas terapias que ainda hoje são marginalizadas. Talvez porque seus métodos e medicamentos são baratos.

Segundo Samuel Hahnemann, o pai da homeopatia, o mau pensar e a nocividade dos sentimentos podem somatizar em doenças físicas. Portanto, faz-se mister o equilíbrio mental para qualquer processo de cura. A metanóia, mudança de padrão de pensamento, deve ser incorporada pelo paciente e, no caso de animais de companhia, a biodinâmica do lar tem que mudar em um processo que envolve o reconhecimento e o consentimento dos tutores.

Portanto, enxergar o paciente de forma holística e individualizada é condição primordial na busca pela cura. Entender não apenas as mudanças físicas, mas também mentais e emocionais de cada paciente e respeitá-las, permitindo ao organismo ser.

*Adalberto do C. B. von Ancken é médico veterinário especialista em Homeopatia, mestre em Bem-Estar Animal. É proprietário da Clínica Veterinária Similia Vet e sócio-proprietário da High Dilution Science (hdscience.com.br). Atualmente integra a equipe de veterinários do Blog Fitopet. Saiba mais sobre ele, no Quem Somos.

Sem Comentários

Deixe sua resposta