Pesquisar no Blog
Papo com VET

Outubro Rosa: participe da luta contra o câncer em pets!

*Por Carolina Porto

Os cães e gatos também podem apresentar neoplasias mamárias e devemos estar sempre de olho! Esse tipo de câncer é o mais comum nos cães e o terceiro mais comum em gatos, ocorrendo geralmente em animais de meia idade a idosos.

A castração precoce (antes do primeiro cio) previne em até 80% a chance de desenvolvimento do câncer de mama. É importante também para evitar outros problemas reprodutivos comuns como infecções uterinas, cistos e neoplasias em útero e ovários. As medicações utilizadas como anti-cio são extremamente perigosas pois aumentam em até 90% a chance das neoplasias aparecerem.

Fatores nutricionais podem influenciar o desenvolvimento de tumores mamários. Estudos em roedores e humanos demonstraram que dietas muito gordurosas e obesidade aumentam o risco da ocorrência dessas neoplasias.

Para um diagnóstico precoce os proprietários devem realizar o exame de toque das mamas dos animais. Ele deve ser feito com certa frequência e, percebendo qualquer alteração como nódulos de qualquer tamanho, mudança de coloração, dor e inchaço, deve-se entrar em contato com um médico veterinário.

Em gatas existe uma doença chamada hiperplasia mamária benigna, um aumento de volume de todas as mamas, muito confundido com tumor. Esses animais devem receber tratamento medicamentoso e serem castradas o quanto antes, sem necessidade de excisão cirúrgica.

No início a neoplasia mamária não apresenta sintomas marcantes. Quando já instalada leva a alterações sistêmicas, podendo apresentar perda de peso, perda de apetite, prostração, vômitos e diarreias. Nesses casos, a doença já deve estar muito evoluída com grande risco de metástase.

Quando a neoplasia já existe o tratamento é cirúrgico e, em alguns casos, precisam de quimioterapia. Todos os nódulos retirados em cirurgia devem passar por um exame chamado histopatologia, onde é avaliado o tipo de tumor, o grau de agressividade, a necessidade de quimioterapia e o prognóstico.

Infelizmente, em 70% dos cães e 90% das gatas essa neoplasia será maligna e o risco de metástase também é alto.

A castração precoce ainda é a melhor prevenção!

*Carolina Porto é médica Veterinária, especializada em Medicina Felina e pós-graduanda em Acupuntura Veterinária. Redes sociais: @carolinaportovet

Leia também:

Saiba como proteger o pet do câncer de mama

Ações para o combate do câncer em pets

Documentário avalia indústria de ração e faz alerta para tutores

Sem Comentários

Deixe sua resposta