Pesquisar no Blog
Papo com VET

Doença Renal Crônica em gatos

* Por Debora N. Paulino

Você sabia que nutrição tem tudo a ver com qualidade de vida?

Sim, gatinhos bem nutridos (lembrando que nutrição e alimentação são palavras distintas) desfrutam de maior qualidade de vida e bem-estar.

A doença renal crônica (DRC) é muito conhecida no universo felino, mas os cuidados ao paciente renal devem ser realizados sempre. Por isso é sempre válido relembrar os cuidados que devemos ter com nossos renaizinhos.

Chegamos ao diagnóstico de DRC por meio do histórico de saúde e modificação comportamental do gatinho, somado aos exames complementares que vão desde exames de sangue até o exame da função renal e hepática (fígado). Outros exames de sangue que avaliam o equilíbrio eletrolítico, assim como o exame de imagem (ultrassom) e a análise da urina (urinálise) também são fundamentais. Os resultados destes exames nos direcionam a diagnosticar, estadiar a doença renal e selecionar qual o tratamento mais adequado de acordo com cada paciente.

E aí, como identificar os sinais e sintomas nos gatinhos?

  •  Gatos com mais de seis anos têm maiores chances de apresentarem alterações renais, por isso, devem visitar o médico veterinário a cada seis meses para acompanhamento. Quanto antes diagnosticada a DRC, maiores a chances temos de proporcionar um tratamento adequado e maior qualidade de vida ao seu gatinho.
  • A predisposição racial (em gatos mais jovens). Algumas raças têm maiores chances de apresentar alteração renal. Dentre eles podemos citar os gatos da raça Persa, Maine Coon, Norueguês da Floresta.
  • Mudança de comportamento: o gatinho fica mais apático.
  • Notamos que ele apresenta a diminuição no apetite: eles passam a deixar mais comida no pote.
  • Urina em maior frequência e quantidade, na liteira e possivelmente fora dela.
  • Passam a beber mais água.
  • Apresentam emagrecimento progressivo.
  • Diminui a frequência de autolimpeza (grooming) e então, apresentam um pelo opaco, com aparência suja e gordurosa.

Estes sinais e sintomas são gerais. Por isso, é importante levar seu gatinho ao veterinário para identificação da doença e acompanhamento do tratamento por meio do manejo clinico, nutricional e comportamental.

É bom lembrar que a DRC não tem cura, mas existe tratamento para cada fase da doença e com instrução de um profissional habilitado, seu gatinho terá muitos ronrons para te dar cheio de vida.

Embora exista uma lenda de que gatos tenham sete vidas, nós sabemos que eles têm apenas uma, então vamos cercá-la de amor e cuidados.

* Debora N. Paulino é médica veterinária da Clínica Mais Gato

Sem Comentários

Deixe sua resposta