Pesquisar no Blog
viajar com o pet
Saúde

Dicas e cuidados que você precisa ter ao viajar com o pet

Quem pretende viajar com o pet no próximo feriado deve ficar atento a alguns cuidados. A começar pela escolha do deslocamento.

Em viagens de carro, os bichinhos devem ficar dentro de caixas de transporte e usar o cinto de segurança adaptado. Neste caso, não é apenas a proteção do seu melhor amigo que está em jogo.

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, transportar animais no banco da frente, à esquerda do motorista ou entre os braços e pernas é considerado infração média e pode gerar multa.

Dicas para a viagem de carro

Para uma viagem ainda mais confortável e sem estresse, planeje pausas a cada 2 a 3 horas. Fazer paradas regulares é importante para o animal se hidratar, se movimentar e fazer suas necessidades.

Ficar muito tempo sentado e com vontade de urinar, por exemplo, pode ser estressante tanto para cães como para gatos. Esta é a dica do veterinário Alexandre Merlo, Gerente Técnico e de Pesquisa Aplicada para Animais de Companhia da Zoetis.

Atenção aos destinos das viagens com o cão

O destino escolhido também é motivo de alerta!

Em cidades litorâneas, a combinação entre calor e tempo úmido favorece a proliferação de mosquitos transmissores da dirofilariose. Trata-se de uma doença parasitária provocada por vermes que se alojam, principalmente, nas artérias que saem do coração dos cães.

As altas temperaturas são ideais para que as fêmeas de algumas espécies dos gêneros Culex e Aedes se reproduzam.  Cerca de 20% dos cães das regiões litorâneas da Bahia estão acometidos pela enfermidade. Já no litoral do Rio de Janeiro, os animais doentes chegam a atingir 60% da população local.

Em Recife, 36,7% dos cães podem estar infectados. Os dados são de uma pesquisa realizada pela Zoetis e conduzida pela veterinária Norma Labarthe, em conjunto com os maiores especialistas sobre o tema no Brasil, incluindo reconhecidas universidades brasileiras.

Prevenção da dirofilariose

Em regiões de clima quente e úmido, a incidência de dirofilariose é maior. Por isso, é fundamental a prevenção, que pode ser feita por meio do ProHeart SR-12, uma injeção com dose única que mantém o animal protegido por 12 meses.

A dirofilariose pode levar à morte caso não seja tratada. Por essa razão, a prevenção é importante mesmo que o animal não viva em regiões litorâneas.

Assim como os seres humanos, os animais devem estar com a carteira de vacinação em dia, antes de encarar uma viagem!

Leia também:

7 pets que estão prontos para viajar no final do ano

Veterinários dão dicas de como proteger os pets contra as pulgas!

Vacinação consciente para cães

Sem Comentários

Deixe sua resposta