Pesquisar no Blog
Dicas Saúde

Cão sozinho (e bem) em casa? É possível!

Cão sozinho em casa?

Durante conversas com muitos tutores já ouvi diversas histórias assustadoras sobre a dificuldade que alguns têm para sair de casa e deixar o peludo sozinho. Digo assustadores pois os relatos são realmente tristes. Desde o cachorro que fica “surtado” sem a companhia de alguém até os tutores que deixam de sair para compromissos e festas para não ter problema com vizinhos por causa dos latidos incessantes. E não é raro não. É bem comum!

Aqui em casa mesmo já tivemos dois problemas. A Mel, minha maltês de 14 anos, sofre de Ansiedade de Separação (SAS). Inclusive, a minha segunda peluda, a Lolla, uma SRD de 5 anos, chegou para fazer companhia pra ela. Mas antes disso, a Mel, quando ficava sozinha, latia sem parar. lambia as patas e arranhava as portas de entrada. Uma vez, na casa de praia de uma tia, ela arranhou tanto a porta quando saímos que sangrou pela cozinha inteira. Quando chegamos em casa, parecia que havia ocorrido um assassinato. E ela estava cheia de sangue e tremendo.

Já a Lolla é uma SRD cheia de energia. Quando chegou era bem pequena. Deixamos ela e a Mel por algumas horas em casa (para trabalhar) e, quando voltamos, ela havia comido o sofá INTEIRO. Dava pra ver a mola até. O sofá tinha 3 meses de uso.

Por que estou estou contando essas histórias?

Apenas para mostrar que isso pode acontecer com qualquer pessoa! Eu sou veterinária e isso aconteceu com os meus dois pets. Como tutor, você não pode se desesperar e nem deixar de viver por causa do pet. Não é saudável para ele e nem para você!

Existem sim várias atitudes que você pode tomar para ajudar o seu pet. O importante é lembrar que cada cachorro tem uma personalidade, uma forma de agir (temperamento) e, por isso, você deve testar o que dá mais certo para ele.

Aqui vão algumas dicas!

4 dicas para deixar seu cão calminho quando fica sozinho

Se você tem problemas em deixar seu peludão sozinho quando precisar sair de casa, não consegue fazer com que o cão fique tranquilo quando você vai a algum lugar e que não pode levar ele junto, posso te ajudar. Este é um problema para muitos donos de pets. Aqui vão algumas dicas para ajudar vocês dois!

#1 – Passeie: antes de deixar o seu amigo sozinho, leve ele para passear ao menos 30 minutos. Isso fará com ele gaste a energia na rua e, ao chegar em casa, ficará menos agitado. Cães que têm limitações (dificuldade para andar, idosos ou as raças braquicefálicas) devem ter orientação do veterinário para fazer exercícios. Uma opção é brincar em casa com o pet de jogar bolinha, por exemplo.

#2 – Ofereça brinquedos: para os pets que gostam de brincar uma boa opção é espalhar diversos brinquedos no local onde ele ficará. Alguns gostam de destruir os bichinhos (tirar a espuma de dentro) e isso é normal e aceitável. Afinal, o brinquedo é dele. Outros brinquedos são mais interativos e podem ser bem interessantes. A Pet Games sempre têm opções interessantes. Veja as opções de brinquedos interativos para o seu pet, aqui.

#3 – Esconda petiscos: em vez de oferecer o petisco direto para o cão, você pode esconder em lugares que ele pode circular, para que ele tenha o “trabalho” de procurar. Você também pode colocar dentro de uma garrafa pet, cortando o petisco em pedacinhos, e fazer furos na garrafa. Com certeza, seu peludo vai adorar destruir a garrafa para ganhar a recompensa. Aprenda com o pessoal do canal Quatro Patas.

#4 – Ofereça um calmante natural: tratar o pet com terapias naturais é fantástico!  O  suplemento Maracujá, da Botica Pets, tem a fórmula ideal para cães a ficarem menos agitados, estressados ou ansiosos. Ele é feito com a passiflora, que tem o poder calmante do maracujá. Sem contraindicação, pode ser oferecido diariamente para melhor resultado. Saiba mais, aqui.

#5 – Conte com a ajuda de um adestrador: em alguns casos, mudar a rotina do pet e da família é essencial para resolver o problema. O adestrador irá dar várias dicas do que não fazer. Muitas vezes, o problema maior está em você – acredite!

#6 – Comida na bolinha: para cães que já são mais fofinhos e não podem comer petiscos, uma ideia é colocar a ração naquela bolinha pra ele rolar e ir comendo aos poucos. Veja também pode saber mais no site da Pet Games.

Como resolvi o problema da Mel e da Lolla!

Bom, a minha história foi bem feliz. Quando a Lolla chegou, a Mel ficou bem mais calma. Mas nem sempre adotar um outro cachorro resolve. Neste caso funcionou bem. Agora, o problema é separar as duas. Elas não gostam! Já para a Lolla contratamos um adestrador, passeamos e enriquecemos sempre o ambiente antes de sair. As duas são tratadas com os palitos em suplementos Maracujá da Botica Pets. Elas simplesmente AMAAAAM! Vejam o vídeozinho da Lolla:

E vocês? Vão testar essas dicas? Depois mandem os resultados pra gente!

*Por Bárbara Freire

Leia também:

Ansiedade canina: entenda como este problema pode afetar a vida do seu pet

Lambe-lambe que não para

Qual o efeito do maracujá para os pets?

Sem Comentários

Deixe sua resposta