Pesquisar no Blog
Saúde

Ansiedade canina: entenda como este problema pode influenciar a vida do seu pet – e a sua!

Ansiedade canina: isso existe?

Agitação excessiva, atitudes destrutivas (morder móveis e objetos do tutor), chorar e latir sem parar, além de xixi em lugar errado quando você não está em casa, são “sintomas” de que o pet não está bem e pode sofrer de ansiedade canina. Com a correria do dia a dia, nós temos cada vez menos tempo para dedicar exclusivamente ao pet, não é mesmo?

Entenda que os pets também podem sofrer de ansiedade. O mais comum é o cachorro desenvolver um ou mais destes comportamentos por dificuldade de ficar sozinho. Por natureza, os cães são seres gregários, que vivem em bandos. A matilha é a única forma de sobrevivência para eles, seja para se alimentar, se proteger de predadores e cuidar das crias. Por isso, este “instinto” ainda está presente em muitos peludos e pode ficar mais evidente em algumas situações.

Os sinais podem começar aos poucos e serem até ignorados pelos tutores por um tempo. Mas, em algum momento, isso chamará atenção não somente do dono, mas de toda a família e até vizinhos!

Ansiedade de separação canina: entenda!

A ansiedade de separação em cães é muito comum! Independe se o cão recebe muita ou pouca atenção do dono. Trata-se de uma dificuldade do peludo – que não está preparado para esperar pela atenção do tutor. Assim, fica “frustrado” quando ele não recebe a atenção devida, seja a falta de um carinho, uma brincadeira ou um passeio. Esta decepção recorrente pode ser o gatilho para desenvolver uma série de comportamentos inadequados.

Faça agora um teste para avaliar se o seu cão sofre de ansiedade de separação!

Alguns comportamentos recorrentes podem ser típicos de um cão que sofre de ansiedade de separação. Entenda!

Mania de destruição:  caminha destruída, jornalzinho ou tapetinho higiênico rasgado, almofada furada, um sapato comido,  um sofá mordido… Quem nunca se deparou com esta situação ao chegar em casa? Este comportamento é bem comum em cães ansiosos que ficam entediados quando o dono está ausente.

Latidos e choros excessivos: basta você colocar o pé para fora de casa e o pet começa a chorar, latir e raspar a porta? Muitas vezes, somente descobrimos que o peludo costuma fazer isso por uma reclamação do vizinho. O excesso de latido (e também de uivos e choros) é a forma que o pet tem de demonstrar sua insatisfação em ficar sozinho.

Necessidades no lugar errado: o peludo insiste em “errar” o tapetinho, jornal ou quintal quando você sai? Sabemos que isso incomoda muitos donos, principalmente quando o cachorro resolve deixar um presentinho na porta do quarto, no tapete da sala ou até em algum objeto que tenha o cheiro do tutor. Mesmo cães adultos e já adestrados que sofrem de ansiedade canina, podem desenvolver este comportamento quando o objetivo é chamar a atenção.

Lambedura psicogênica: quando o pet está saudável, mas insiste em lamber constantemente alguma parte do corpo, como as patas, por exemplo, pode estar relacionado à ansiedade. Este comportamento, quando realizado de forma recorrente, pode indicar duas coisas: que o pet tem uma coceira na região (por alergia ou outro problema de pele, por exemplo) ou, novamente, que ele está muito ansioso. O problema é que, a longo prazo, essa lambedura pode formar lesões e infecções na pele. Por isso, vale a pena ficar bem atento a este comportamento!

Comer muito de uma vez só ou fazer “greve de fome”: cada cachorro reage de uma forma quando algo não vai bem. Assim como nós, a comida pode ser uma “válvula de escape” em situações de estresse. Comer em excesso ou perder totalmente o apetite pode ser um indício de ansiedade no pet. Por isso é sempre importante acompanhar como está a alimentação do peludo.

Muitos outros comportamentos podem estar associados à ansiedade de separação em cães.

Afinal, cada um pode reagir de uma maneira quando se sente acuado, nervoso, aflito… O importante é sempre ficar atento ao comportamento do cachorro e buscar formas de ajudá-lo!

Você identificou que o seu cachorro sofre de ansiedade de separação? Então, não deixe de conferir este infográfico com 5 dicas para ajudar  o cãozinho ansioso!

Leia também:

Lambe-lambe que não para!

Pet destruidor? Entenda os motivos

Como lidar com cães que latem em excesso

Sem Comentários

Deixe sua resposta