Pesquisar no Blog
Saúde

Alerta: previna o seu cão da Leishmaniose Visceral!

Nos últimos meses, a região Centro Oeste tem registrado casos da doença. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a Leishmaniose Visceral está presente em 12 países das Américas, sendo que 96% dos casos relatados são do Brasil.

Trata-se de uma zoonose, transmitida por um protozoário (Leishmania), pela picada de flebotomíneos, conhecidos popularmente como mosquito-palha ou birigui. O cão é um reservatório da doença e, muitas vezes, demora a apresentar os sintomas, aumentando os riscos de contágio aos seres humanos.

O mosquito se reproduz em lugares úmidos e com acúmulo de material orgânico, como terrenos com mato alto e lixo. No entanto, os tutores devem ficar atentos: até em condomínios residenciais, onde há muito verde, os mosquitos podem se reproduzir.

De acordo com a médica veterinária Cecília Barbosa, coordenadora técnica e especialista em Animais de Companhia da Boehringer Ingelheim Saúde Animalmesmo com a vacinação em dia, os cães podem ser contaminados. “A Leishmaniose Visceral pode ser evitada por meio da prevenção, visto que também apresenta perigo aos seres humanos e leva a morte se não for tratada corretamente”, afirma.

Quais são os sintomas?

  • Crescimento exagerado das unhas
  • Pelos quebradiços
  • Feridas
  • Apatia
  • Perda de peso

Como prevenir o pet?

As atitudes abaixo podem ser tomadas para prevenir o peludo:

  • Vacinação (saiba mais, aqui)
  • Coleira antiparasitária
  • Evitar o acúmulo de lixos e entulhos

 

DICA!

A Boehringer Ingelheim Saúde Animal está lançando no Brasil o antiparasitário de uso tópico Frontline Tri-Act, que atua no combate às pulgas e carrapatos e tem ação repelente contra flebótomos transmissores da Leishmaniose Visceral. Veja aqui.

 

 

Sem Comentários

Deixe sua resposta