Pesquisar no Blog
Dicas Saúde

6 dicas para tirar o cão do tédio

Cachorro entediado é um perigo! Quem nunca sofreu com latidos e choros excessivos do pet? Destruição de móveis e objetos de casa? Ou ainda o pet tem mania de lamber as patas o tempo todo? Saiba que estes “sintomas” podem indicar que o seu cachorro está entediado. Estes problemas são mais recorrentes do que muita gente pensa e podem se transformar em um transtorno para os donos.

A Botica Pets deu algumas dicas bem bacanas para ajudar você que tem dificuldade em deixar o pet sozinho em casa! Quer saber como?

Existem uma série de atividades que podem ser feitas para acalmar e incentivar a independência do peludo. Mas, antes, é preciso entender quais são as causas que levaram o seu cachorro a desenvolver estes comportamentos.

Por exemplo, cães que passam muito tempo sozinhos em casa sem fazer nada estão mais propensos a desenvolver vários transtornos. Um deles é a Síndrome de Ansiedade de Separação (SAS), uma doença que pode acometer qualquer cão que seja pouco estimulado. Trata-se de um conjunto de atitudes do pet – entre elas, os latidos em excesso, o xixi no lugar errado, a lambedura excessiva (desde que descartados problemas dermatológicos) e a destruição de objetos.

Veja as dicas da Botica Pet:

#1 Demonstrar carinho e amor ao pet é também oferecer uma rotina de passeios e momentos de brincadeira, para que ele possa gastar toda a sua energia. Por isso, o indicado é que você possa separar um pouco do seu tempo e levar o amigão para passear na rua por pelo menos 30 minutos. Longas caminhadas aumentam a produção de hormônios que dão sensação de bem-estar.  Ajuda a manter a forma, evitando o ganho de peso.

#2 Gastar energia para os cães é fundamental. Além de fazer muito bem para a sua saúde, o passeio estimula a interação social do pet com outros animais e permite que ele conheça um novo ambiente por meio de cheiros e o uso do faro. Isso é tudo muito estimulante para eles!

#3 Outra forma de incentivar o cão a praticar exercícios é brincar com ele. Neste sentido, vale de tudo: jogar bolinha para ele ir buscar, esconder brinquedos ou petiscos para ele buscar ou até brincar de pegar.

#4 Desde cedo é importante deixar o pet acostumado a ficar bem sozinho. Mas isso não significa que ele deve ficar esperando o tutor voltar do trabalho sem fazer nada. O enriquecimento ambiental é fundamental para que o peludo não fique entediado.

#5 Brinquedos e pequenas mudanças no ambiente do cão podem ajudar. Além de exercitar o pet, ajuda a propor desafios mentais. Existem brinquedos específicos para isso no mercado, mas algumas coisas podem ser improvisadas em casa como: oferecer uma garrafa pet com petiscos dentro para que ele tenha que tirá-los para comer, dar um coco verde para que ele possa destruir e esconder petiscos pelos locais da casa onde o pet pode ir.

#6 Por fim, o adestramento é uma opção para quem quer mostrar ao pet os limites dessa convivência. Impor limites é fundamental para que o cão aprenda a lidar com frustrações do dia a dia. Para ele, ficar sem o tutor é uma dessas situações. Ensinando comandos básicos, com “fica” e “senta”, por exemplo, ajudará o peludo a lidar melhor com tudo isso.

E você? Também está passando por essa situação em casa?

Confira:  [Infográfico] 5 Dicas para manter seu cãozinho livre de ansiedade! Baixe agora grátis!

Sem Comentários

Deixe sua resposta